Seja bem-vindo(a) ao AVRILMIDIA.com, o primeiro site sobre a Avril Lavigne do Brasil. Online desde 2002, somos uma das melhores fontes da internet sobre a cantora com constantes atualizações nas notícias, conteúdo completo e direto, atualizações na galeria de fotos, vídeos legendados, entre outros. Nos esforçamos para trazer aos fãs o melhor e da forma mais clara e objetiva.

Assista ao novo videoclipe de Avril Lavigne, "I Fell In Love with the Devil"

Assista ao novo videoclipe de Avril Lavigne, “I Fell In Love with the Devil”

Uma das melhores faixas do novo disco de Avril Lavigne acaba de ganhar um videoclipe! Dentre as inéditas, a canção também é a favorita da canadense, como ela mesma contou em post no Instagram, depois de surpreender os fãs com uma performance não anunciada da música no programa de James Corden...
Ouça "Head Above Water", o novo álbum de Avril Lavigne!

Ouça “Head Above Water”, o novo álbum de Avril Lavigne!

Head Above Water, o sexto álbum de estúdio de Avril Lavigne, finalmente foi lançado! Após mais de 5 anos de espera, a canadense nos presentou com 12 canções inéditas, incluindo uma parceria inesperada com Nicki Minaj na versão digital do disco, e, mais uma vez, junto de seus colaboradores, esteve à...
Changes?: documentário em homenagem aos 15 anos de carreira de Avril

Changes?: documentário em homenagem aos 15 anos de carreira de Avril

Projeto especial no ar! Há 15 anos, no dia 14 de maio de 2002, Avril Lavigne lançava seu single de estreia chamado Complicated e dava o pontapé inicial no que viria a ser uma longa e bem sucedida carreira. Mas, de lá pra cá, muita coisa mudou. Quando Avril surgiu...

Head Above Water, o sexto álbum de estúdio de Avril Lavigne, finalmente foi lançado! Após mais de 5 anos de espera, a canadense nos presentou com 12 canções inéditas, incluindo uma parceria inesperada com Nicki Minaj na versão digital do disco, e, mais uma vez, junto de seus colaboradores, esteve à frente de todas as composições e da produção de duas faixas.

“Eu estava pronta para gravar, mas demorou muito tempo para que eu encontrasse os produtores que se encaixassem bem com o projeto. Já havia composto todas as músicas e a maioria desses profissionais não querem lidar com canções que estão completamente escritas, então foi tipo: “Quem será que nós poderíamos convidar para embarcar nisso conosco?”. Tentei produzi-lo com diferentes pessoas até que desse certo. Tudo porque sou muito próxima da minha música e tenho visão, portanto a produção acaba sendo uma grande parte do processo. É algo demorado, o que acaba sendo bem diferente de artistas que recebem as músicas prontas”.

Em uma conversa com a 104.3MYfm (assista ao vídeo legendado clicando aqui), Avril revelou que entre 22 e 30 músicas foram criadas, embora apenas 12 tenham ido para o corte final. Durante outras entrevistas que deu nas últimas semanas, a cantora reforçou que, após décadas de complicações com empresários, finalmente conquistou o total controle artístico de sua obra ao assinar com a gravadora BMG, que lhe trata como uma “artista de legado”. Ela também mostrou desconforto ao continuar sendo questionada sobre o estado de sua recuperação da doença de Lyme, que lhe afastou dos grandes shows nos palcos desde agosto de 2014. Para a InRock Magazine e o Entertainment Weekly, declarou: “Ei, não quero mais falar sobre isso, vamos focar no meu álbum”. “Foi doloroso encarar isso e, às vezes, não gosto de tocar nesse assunto, mas transformá-lo em música e espalhá-la por aí na intenção de ajudar outras pessoas tem sido algo bom”.

Em setembro de 2018, na carta aberta aos fãs, Avril pediu que seu público tenha paciência durante a divulgação lenta do disco, já que ainda convive com os altos e baixos da doença e precisa desacelerar.

“Estou retomando o controle da minha vida novamente e fazendo o que sei que nasci para fazer, que é a música. Quero mais do que tudo voltar aos palcos, segurar meu violão, cantar com o meu coração e viajar pelo mundo vendo todos os meus fãs. Farei o que eu puder para isso, mas tenho sempre que ouvir o meu corpo e manter uma saúde balanceada, então, por favor, tenham paciência nesta etapa. Escrevi e gravei esse álbum, e para mim isso é um momento de vitória”.

“É um processo muito devagar. Primeiramente, quando se está em uma situação dessas, a gente percebe o quão importantes e grandes são as pequenas coisas da vida. Eu ficava pensando: “Cara, gostaria muito de ir à cozinha e me fazer um café”. Por dois anos, não fui capaz disso. Pensava também em um jantar acompanhado de uma taça de vinho, visitar meus amigos ou apenas entrar no carro e dirigir até algum lugar”, contou para um jornal suíço.

“Quando se passa por algo assim, realmente vemos quem são nossos verdadeiros amigos. Muitas pessoas se afastaram de mim porque eu já não era mais a “garota festeira”. Passei a precisar mais dos meus amigos e da minha família. Necessitava de apoio, e foi uma grande surpresa em geral. Essas foram apenas algumas das muitas lições de vida. Adquiri outra perspectiva sobre as coisas, mas cheguei longe! Não consegui sair da cama por quase dois anos, e ainda há dias em que não consigo. Então, lançar músicas que significam tanto para mim, me deixa animada!”.

“Meu plano inicial não era fazer um álbum, as canções apareceram para mim naturalmente. Minha intenção era apenas recomeçar a fazer as coisas sozinha.  Hoje, eu posso ver ainda mais que preciso da música na minha vida. Meu álbum não fala só da minha doença, muitas das outras faixas foram desenvolvidas a partir do momento em que me senti melhor e mais feliz, mas todas estão em sintonia sobre superar dificuldades”.  (skream.jp)

Nua: Em bate-papo com fãs no Twitter, Lavigne falou sobre a tão comentada capa do álbum. Ela diz que representa bem como se sentiu durante toda a produção: exposta e sem nenhuma vergonha. Avril quer expressar isso ao público que vai ouvi-lo não só através das canções, como também na fotografia que dá cara ao disco, na qual aparece nua, além da escolha da paleta de cores do projeto: preto, branco e azul. Definitivamente, fotografar debaixo d’água era algo que ela ainda não tinha feito antes. Um fã, inclusive, comentou que a música da cantora mudou muito ao longo dos anos e que agora, ela parece mais madura do que no disco autointitulado lançado em 2013. Ele então aproveitou para perguntar se ela se sente mais confortável no estilo que canta atualmente. Avril respondeu que não é uma questão de estar mais confortável, mas apenas o estado (emocional) no qual ela se encontra hoje.

“Este álbum marca o renascimento e o início da segunda parte da minha carreira e da minha vida. Sk8er Boi foi o começo, e foi o som que dominou a minha música por quase 15 anos. Head Above Water é realmente um novo capítulo, em todos os sentidos. Os últimos anos tiveram uma grande contribuição para que eu não fosse mais uma garotinha, e sim uma mulher adulta. Às vezes, coisas sérias acontecem e nos fazem amadurecer. No entanto, não quero levar a vida muito a sério. Não sou mais aquela antiga “supermulher”, mas em contrapartida, eu luto! O ‘copo’ está certamente mais cheio do que vazio. Não vou deixar essa situação me derrubar! Quando a vida é dura conosco e nos joga pedras e o mundo inteiro parece entrar em colapso, sei que o melhor a se fazer é manter a calma, respirar e deixar esse momento de pânico passar. Isso se aplica a todos os desafios da vida”.

Coloque o álbum para tocar na sua plataforma digital favorita e clique aqui para conferir as letras e traduções das músicas.

“Tenho esperado por um longo tempo para finalmente compartilhar meu novo álbum com todos vocês. Meu coração está tão cheio e completo agora por saber que já podem ouvi-lo! É muito importante para mim contar a história crua e honesta daquilo que passei desde que compartilhei minha vida com todos da última vez. Foi um processo de cura e algo muito libertador enquanto estava compondo e gravando essas músicas. Espero que as recebam de braços abertos. Amo vocês, obrigada novamente pelo seu apoio contínuo!!!”

Conheça as histórias das canções:

Head Above Water

“Foi a primeira música que eu escrevi da minha cama durante um dos momentos mais assustadores da minha vida. Eu já tinha aceitado a morte e podia sentir meu corpo se desligando. Senti como se estivesse me afogando. Como se eu estivesse debaixo d’água e não conseguisse respirar. Como se eu estivesse em um mar sendo puxada pela correnteza. Orei a Deus para que ele me ajudasse a manter minha cabeça acima da água. Para me ajudar a passar por esse momento. Minha mãe me ajudou. Nos braços dela, escrevi a primeira música do disco. Mais tarde, conheci uma bela alma, Travis Clark, e nos sentamos ao piano e esculpimos o resto dela. Então a levei para o produtor gênio Stephan Moccio, e amei o que ele fez com a canção”.

Birdie

“Esta foi escrita de um lugar sobre não permitir que algo nos prenda além do nosso pleno potencial. É sobre se libertar e amar a si próprio o suficiente para se permitir voar, encontrar a confiança e a força necessárias para escapar disso e crescer.

Tive esse conceito na minha cabeça por uns dois anos antes de começar a escrevê-la. Estava me sentindo mal e ficava dizendo para mim mesma: “Sinto que sou um pássaro preso em uma jaula. Sinto que estou na cadeia”. Eu estava presa a uma série de coisas. É daí que vem a ideia dessa canção! Não é necessariamente sobre minha doença, mas sobre outras coisas da minha vida. Eu amo essa música, pois tem uma mensagem poderosa sobre se reerguer, fazer algo sobre essas situações, assumir o controle e encontrar uma saída. Acho que muitas pessoas podem se identificar com isso, seja por estarem em um relacionamento tóxico ou simplesmente infelizes com o próprio trabalho”.

I Feel in Love with the Devil

“Às vezes o seu coração entra em conflito com a sua cabeça e te leva a situações que você sabe que não estão certas. Uma vez que se está lá, é muito difícil sair. Eu produzi essa música com o Chris Baseford.

Sou uma pessoa que nunca, nunca trairá! (risos), mas posso dizer que essa música veio de uma experiência ‘feroz’. Na época, eu estava realmente com medo, ainda enfraquecida, vulnerável e insegura. Então essa pessoa veio até mim. É o que chamam de “relação tóxica”. A única coisa boa é que não durou muito. Saí fora rapidamente. E como muitas vezes já aconteceu comigo, tudo acabou evoluindo para uma canção”.

Tell Me It’s Over 

“Adorei poder escrever uma música com meu melhor amigo Ryan Cabrera. Nós passamos um tempo incrível juntos! Tell Me It Over é um hino sobre ser forte, finalmente colocar os pés no chão e fechar a porta para um relacionamento que a gente sabe que está errado depois de várias falhas. Se alguém não lhe trata da maneira que você merece ser tratada, não aceite isso. É compreensivelmente difícil, porque no passado, toda vez que você o via, ele lhe sugava de volta para a teia dele, mas não será mais assim a partir de agora! Os vocais e a letra dessa canção são muito vulneráveis, o que reflete os sentimentos que tive em relacionamentos como esses. Eu queria escrever algo clássico e inspirado por algumas das rainhas atemporais que ouço todos os dias na minha casa, como Billie Holiday, Ella Fitzgerald, Aretha Franklin e Etta James. Elas representam mulheres que defendem mulheres e que não toleram mais as babaquices de um homem!”

Dumb Blonde (feat. Nicki Minaj)

“O conceito e a ideia dessa música vieram até mim depois de uma situação que vivi. Contei para os (co-compositores) BonnieMcKee e Mitch Allan, que me ajudaram a dar vida a ela. Eu tive a porra de um perdedor na minha vida que se sentia ameaçado pela minha força, autoconfiança e independência como mulher. Fui menosprezada e até me senti mal por quem eu sou: uma líder, alguém com visão, opinião própria, que tem força, desejo, paixão e objetivos.

Sério, não é uma piada! Ele me disse: “Você é apenas uma loira burra”. Eu fiquei: “Obrigada, idiota, outra ideia para uma música!”. O fato é que todo homem deve ser feliz quando uma mulher também está. Eu não entendo isso! Também não quero um cara na minha vida a quem eu me sinta superior e a quem eu também tenha que mandar. Nem pensar! Os homens, às vezes, são um mistério para mim. Tudo o que sei é que amo as pessoas, sejam mulheres ou homens, que têm suas opiniões e defendem suas próprias convicções.

Nunca deixe ninguém te colocar pra baixo por você ser quem você é. Fique firme. Lute. Seja você. Ame. Seja genuína. Gentil. Se encontre e seja dona de si. Que se dane os esteriótipos! Se você é uma pessoa forte e o seu companheiro não consegue lidar com isso, ache alguém que tenha autoestima o suficiente e possa lhe apoiar, lhe colocar para cima e que seja uma inspiração para você. Que te trate com igualdade. Um amigo. E não alguém que precisa te diminuir pra fazer ele se sentir melhor por causa da própria baixa autoestima. Sim, mulheres e homens deveriam ajudar a fortalecer uns aos outros”.

Para quem não sabe, Nicki Minaj sempre foi uma grande fã de Avril Lavigne. Ambas já trocaram elogios na mídia. A artista vem citando a canadense em entrevistas como uma de suas inspirações há muitos anos, e sempre curte os posts dela nas redes sociais. As duas, inclusive, seguem o perfil uma da outra e até já conversaram pelos comentários do Instagram quando Nicki disse que Let Go é um de seus álbuns favoritos. Recentemente, Avril publicou um stories ouvindo a faixa Bed do recente álbum da rapper.

“Costumava dirigir para o meu trabalho ouvindo o álbum dessa mulher por meses. Chorando com I’m With You, me divertindo com Complicated, Things I’ll Never Say, Nobody’s Fool e Sk8er Boi. MEU DEUS. Essa mulher é tão inacreditavelmente talentosa! Se você me conhece, sabe a quanto tempo sou fã dela. E não venha me dizer que eu não alcançava CADA nota de I’m With You no chuveiro”, comemorou após o anúncio oficial da colaboração.

It Was In Me

“Foi tão bonito me sentar com Lauren Christy e nos reconectar. Nós conversamos, relembramos o passado, rimos, criamos, oramos e escrevemos juntas novamente. Falamos sobre várias coisas! Espiritualidade. Deus. Essa faixa é sobre como procuramos por toda parte as respostas da vida, que estão dentro de nós. Ouça a si mesmo. Não tenha medo de falar. Siga sua intuição, não procure a felicidade em outro lugar com possessividade ou pessoas. É só olhar para dentro de si!”. 

Souvenir

“É sobre um romance de verão que infelizmente está chegando ao fim, sobre um romântico sem esperança. Relacionamentos assim geralmente não duram, mas às vezes funcionam, nunca se sabe! Os ótimos momentos e as lembranças são bons demais para irem embora. Existe alguma maneira de deixar a distância de lado e fazer com que funcione por um longo tempo, ou talvez até para sempre? Sempre há esperança para persistirmos!”.

Crush

“É sobre estar tão loucamente apaixonada por alguém, e porque esteve em relacionamentos difíceis no passado, você está com medo dos resultados disso, que te conhecem melhor do que ninguém no mundo e lhe enlouquecem, pois você não será capaz de perdê-lo!”.

No Instagram, Zane Carney, co-compositor da faixa, falou sobre o processo de criação da música: “Em 2015, Avril e eu nos tornamos amigos incrivelmente próximos e decidimos escrever juntos, incluindo Crush, que realmente saiu de dentro dela! Sua equipe e eu não poderíamos estar mais orgulhosos da jovem que canta neste disco. Ah, e você está brincando comigo ?! É claro que toquei guitarra nessa canção, e na metade do resto do álbum também, duhhhhhh”.

Goddess

“Podem haver momentos na vida em que, por qualquer motivo, você esteja se sentindo perdido, triste e solitário. Quando parece que não há luz no fim do túnel. Então conhece aquela pessoa que te adora pelo o que você é e faz com que se sinta o ser mais bonito do mundo. Esse alguém especial com quem pode baixar a guarda, ser completamente vulnerável e se achar mais poderoso e importante do que já achou antes”. 

Bigger Wow

“Essa música é sobre viver o melhor da vida. Se você não está recebendo o que deseja e deve, então vá encontrar algo que te impressione. Não se contente com menos do que você merece”.

Love Me Insane

“Escrevi essa canção no piano da minha sala de estar em Los Angeles. É sobre se permitir e se arriscar a se apaixonar novamente. Abrace essa oportunidade de amar! O amor pode ser assustador, mas é melhor ter amado do que nunca ter sentido nada”.

Warrior

“Foi uma das primeiras músicas que eu escrevi para o álbum, após Head Above Water. Ambas são sobre a batalha pela minha saúde que continuo lutando todos os dias. Espero que minhas músicas te ajudem a encontrar força, caso você precise”.

Agradecimentos no encarte (via Avril Bandaids Brasil):

“Eu quero agradecer a Deus por me dar a música para transformar e curar minha vida; compartilhar e comemorar (com outras pessoas). Obrigada, Chad Kroeger e Chris Basenford por começarem este álbum comigo e estarem presentes até o final do processo. Eu realmente não poderia ter feito isso sem vocês. Obrigada aos membros da minha família: Matt, Amie, Michelle, mãe, pai e Brenda. Um enorme obrigada a Ryan Cabrera, Rilley Davis, Lisa França, Lee Friedlander, Diviana Ingravallo, Gabriel Panduro, Phillip Sarofim, Mike Heller, Caryn Alpert, Shannon Mcewen, Lauren Bates, Courtney Tallman, Rodica Hristu, Effie Hristu e Derek Danielson. Todos vocês ajudaram a manter a minha cabeça acima da água. Obrigada a Kenna Danyliw, Lindsay Montforts e Janet Mckeage. Um agradecimento especial a Lauren Christy! Eu sou tão grata pelo tempo que passamos juntas criando novamente. Eu agradeço a Deus por trazê-la de volta a minha vida.

Obrigada ao pessoal da Freesolo/Vector Management: James Diener, Ken Levetan, Jenn Tolman, Rome Thomas, Ben Berkman, Jon Romero, Peter Stormer, Jordan Fann, Melinda Kelly, Lagan Sebert e Jim Stabile. Obrigada, galera da BMG: Zach Katz, Tom Biery, Dan Gill, Cindi Lynott, Taylor Bringuel, Vanessa Sylvia Nelson, Andreas Katsambas, Shane Cosme, Kaleena Arbuco, Britanny Bosse, April Salud, Eva Hall, Matt Medina, Aimee Nadeau, Randall Leddy e Sasha Becerra. Muito obrigada, Sony Japan: Nobu Nakatake, Kumiko Muto, Miwa, Kuroki, Shin Yoshikawa. Obrigada ao CAA: Mitch Rose, Nigel Hassler, Rob Light e Kyle Willensky. Obrigada, L.A Reid por me descobrir e continuar a me apoiar durante toda a minha carreira até hoje.

Quero agradecer aos meus produtores e colaboradores: Mitch Allan, Melissa Bell, Jonathan Martin Berry, Jay Paul Bicknell, Paul Bushnell, Johan Carlsson, Zane Carney, Travis Clark, Serge Courtois, Kylen Deporter, Kevin Fox, Vanessa Freebairn-Smith, Justin Gray, Chris Gehringer, Serban Ghenea, Ross Golan, Larry Gold, John Hanes, Jon Levine, Tony Maserati, Bonnie Mckee, Stephan Moccio, JR. Rotem, Will Quinnell, Scott Robinson, Aaron Sterling, Arianne Ahimsa, Jenny Bai, Jonas Best, Joe Dambrosio, Patrick Donovan, Rebecca Eydeland, Kristen Foster, Chris Jahnle, Carter Hammond, Lawrence Lejean, Elliot Lester, Fabienne Leys, Jake Livingston, Frank Maddocks, Valerie Morehouse, David Needleman, Jamie Porter, James Quinn, Tyler Rutkin, Todos Winkler, Dusty Starks; e minha banda: Albert Berry, Daniel Ellis, Steve Ferlazzo, Rodney Howard e David Immerman.

Obrigada aos meus fãs por me apoiarem ao longo dos anos e por ficarem por perto, enquanto tive que dar uma pausa. A lealdade e a dedicação de vocês é sem precedentes. Eu sou verdadeiramente abençoada!”. 

Divulgação em Londres (Imagem: victoriamolly07)

Head Above Water está disponível no site oficial de Avril Lavigne nos formatos vinil, digital e CD. Garanta já o seu! Um novo merch também pode ser adquirido na loja virtual oficial. Dois dólares de cada compra serão doados para a The Avril Lavigne Foundation, incluindo o dinheiro arrecadado em uma camisa em edição limitada. Os lucros serão investidos no tratamento de pessoas portadoras da doença de Lyme, que de outra forma não poderiam custeá-lo. As vendas nas lojas do Brasil devem começar em breve.

“Não sinto a necessidade de convencer as pessoas de qualquer coisa. Acho que depois do que passei, só estou fazendo música hoje porque eu amo e porque me faz feliz. Estou fazendo isso por mim mesma! Também fico ansiosa em lançá-las, pois sei que meus fãs estavam esperando”

The following two tabs change content below.
Noticia anteriorAssista à apresentação de Avril Lavigne no programa do Jimmy Fallon Proxima noticiaAssista à apresentação de Avril Lavigne no Good Morning America