Seja bem-vindo(a) ao AVRILMIDIA.com, o primeiro site sobre a Avril Lavigne do Brasil. Online desde 2002, somos uma das melhores fontes da internet sobre a cantora com constantes atualizações nas notícias, conteúdo completo e direto, atualizações na galeria de fotos, vídeos legendados, entre outros. Nos esforçamos para trazer aos fãs o melhor e da forma mais clara e objetiva.

Assista ao novo videoclipe de Avril Lavigne, "I Fell In Love with the Devil"

Assista ao novo videoclipe de Avril Lavigne, “I Fell In Love with the Devil”

Uma das melhores faixas do novo disco de Avril Lavigne acaba de ganhar um videoclipe! Dentre as inéditas, a canção também é a favorita da canadense, como ela mesma contou em post no Instagram, depois de surpreender os fãs com uma performance não anunciada da música no programa de James Corden...
Ouça "Head Above Water", o novo álbum de Avril Lavigne!

Ouça “Head Above Water”, o novo álbum de Avril Lavigne!

Head Above Water, o sexto álbum de estúdio de Avril Lavigne, finalmente foi lançado! Após mais de 5 anos de espera, a canadense nos presentou com 12 canções inéditas, incluindo uma parceria inesperada com Nicki Minaj na versão digital do disco, e, mais uma vez, junto de seus colaboradores, esteve à...
Changes?: documentário em homenagem aos 15 anos de carreira de Avril

Changes?: documentário em homenagem aos 15 anos de carreira de Avril

Projeto especial no ar! Há 15 anos, no dia 14 de maio de 2002, Avril Lavigne lançava seu single de estreia chamado Complicated e dava o pontapé inicial no que viria a ser uma longa e bem sucedida carreira. Mas, de lá pra cá, muita coisa mudou. Quando Avril surgiu...

A nova edição da InterviewMagazine traz Avril Lavigne entrevistando o rapper Juice WRLD. A prática é comum nas publicações da revista. Confira a tradução completa do bate-papo logo abaixo:

Com as plataformas de streaming criando uma “rede de tédio” em todo o mundo, a solidão se tornou o próprio significado de uma experiência comunitária. Com a chegada de Juice WRLD, um rapper nascido em Chicago, que da noite para o dia se transformou em um fenômeno no topo das paradas, surgem canções que, segundo ele próprio, são produto de uma geração antenada que cresceu ouvindo de tudo. Talvez ninguém saiba mais sobre os paradoxos de ser uma “artista alternativa de massa” do que Avril Lavigne, a cantora canadense com 17 anos de uma carreira bem sucedida. Os dois conversaram por telefone e discutiram diversos assuntos, incluindo como encontrar a luz em meio a períodos obscuros da vida.

AVRIL LAVIGNE: Você está na Austrália agora?

JUICE WRLD: Logo estarei de volta aos Estados Unidos, mas ainda estou na Austrália.

LAVIGNE: Parabéns por todos os seus sucessos este ano. Você está se divertindo?

JUICE: Para ser sincero, sou uma pessoa chata. Tudo que faço é gravar e andar de motocicleta.

LAVIGNE: Eu amo motocicletas.

JUICE: Elas são legais até a gente se foder.

LAVIGNE: Às vezes eu ando de skate pela minha vizinhança e de patinete com meus amigos.

JUICE: Eu costumava andar muito de skate! Não sei porque parei.

LAVIGNE: Seus sucessos têm sido músicas sobre ter o coração partido. Qual foi o seu maior momento de mágoa?

JUICE: Aconteceu logo depois que fiquei famoso, não foi um relacionamento. A situação é mais sobre pessoas que eu achava que sempre estariam lá para mim, mas não estão. Alguns dos meus velhos amigos com quem eu pensava que teria uma amizade eterna, se afastaram. Quando você está vivendo um momento e acha que tem bons amigos, presume que vai morrer ao lado deles aos 90 anos. Mas muitas pessoas mudam, e essa parte é o maior desgosto. A música que fiz depois que percebi isso definitivamente reflete essa experiência.

LAVIGNE: Com que artista do mundo você mais gostaria de fazer uma música?

JUICE: Kurt Cobain.

LAVIGNE: Quem são seus artistas favoritos no momento?

JUICE: Eu tenho ouvido Frank Ocean, Drake, uma banda de Chicago chamada Belmont, Fall Out Boy, Black Sabbath, Gucci Mane, MigosXXXTentacion, e a lista continua….

LAVIGNE: Isso é realmente uma lista com grande variedade. Outras pessoas do mundo do hip-hop pensam que suas referências musicais são estranhas?

JUICE: Ninguém realmente dá a mínima sobre isso. Pessoas genuínas apoiarão você sendo você mesmo.

LAVIGNE: Sua música é muito influenciada por emo e punk. Por que você acha que esses gêneros estão voltando ao mainstream agora? O que é esse momento da música em que estamos vivendo?

JUICE: Eu cresci ouvindo todos os tipos de música, punk, pop, qualquer coisa. Então isso é naturalmente apenas uma parte de quem eu sou. Mas para responder à sua pergunta, acho que as pessoas estão apreciando como esses gêneros falam sobre saúde mental e diferentes lutas. Nós vivemos em um planeta em dificuldades, então acho que todos estão juntos de certa forma.

LAVIGNE: Quando surgi na cena musical, os artistas do momento eram os Backstreet Boys, ‘NSync, Britney Spears e a Christina Aguilera. O meu disco tinha um estilo totalmente diferente deles, com o uso guitarra, e eu costumava vestir roupas folgadas. Esteticamente e musicalmente foi algo novo para a época. Havia uma multidão de pessoas que se relacionavam com a minha música e essa mensagem de “ser você mesmo”. Eu era uma adolescente escrevendo sobre o que eu estava passando, fins de relacionamentos… Enfim, não havia muita coisa assim.

JUICE: Para tirar alguém do lugar obscuro no qual se encontra, é preciso que nós, intérpretes dessas músicas, estejamos lá com ele. Por exemplo, hoje, existe muito o uso de drogas pesadas que são liberadas. O que faço é pegar os meus demônios e colocá-los para fora. Não vai funcionar se eu apontar o dedo na cara dessas pessoas e lhes disser que são viciados ou algo assim. Alguém que nunca fez isso não pode ficar falando: “Você é burro, precisa parar”. As pessoas não sabem o que as outras passam, porque todo mundo tem lutas diferentes. Indivíduos enfrentam coisas terríveis em suas vidas e, às vezes, a fuga acaba sendo as drogas. Então falo da seguinte perspectiva: “Você não está sozinho. Estou lutando com você, então saiba que estou aqui!”.

LAVIGNE: Eu sinto que quanto mais vulnerável sou, melhor é a minha música. Acredito que isso também me ajuda. Compus um single que acabei de lançar, Head Above Water, sobre a minha experiência de quase morrer. Eu estava de cama e lutando pela minha vida, e a resposta que recebi dos meus fãs foi tão comovente. É gratificante, como artista, poder passar por algo em nossa vida e transformar em uma música, pois não apenas encorajamos a nós mesmos, como também ajudamos outras pessoas.

JUICE: É terapêutico.

LAVIGNE: Eu não poderia concordar mais. Você é uma pessoa tímida?

JUICE: Depende da situação. Devido a mudanças repentinas na vida, sinto que sou socialmente desajeitado. Eu sei como falar, então não quero dizer que sou tímido, mas não sou a pessoa mais social do mundo.

LAVIGNE: Você é como eu que gosta de sair à noite e não de dia?

JUICE: Essa é provavelmente a única hora em que você tem alguma paz.

LAVIGNE: Eu conheço muitos artistas que ganham a vida à noite e são mais introvertidos durante o dia. Qual tem sido a parte empolgante da fama para você?

JUICE: Ser capaz de ter uma voz poderosa que tenha impacto nas pessoas. A parte chata é que eu não posso sair de casa.

LAVIGNE: A fama faz a gente fazer coisas estranhas.

JUICE: E é uma droga, porque quando se está preso em sua própria casa casa, a pessoa começa a pensar demais. E é aí que eu começo a tomar decisões erradas.

LAVIGNE: Mas também é quando você pode escrever uma música. Se eu estou entediada sozinha em casa, é quando sento no piano e escrevo música. Você toca instrumentos?

JUICE: Eu toco piano, guitarra, trompete, bateria, e só.

LAVIGNE: Você teve aulas ou aprendeu sozinho?

JUICE: Eu aprendi a tocar trompete na escola, mas em todo o resto sou autodidata. Até tive algumas aulas, mas sempre fui muito impaciente para me sentar e aprender. Esse não é meu estilo.

LAVIGNE: O meu também não! Meus pais me deram um kit de bateria de presente de Natal quando eu era criança, e o meu irmão ganhou uma guitarra. Eu descobri como tocar tudo sozinha.

JUICE: Vocês deveriam ter montado uma banda.

LAVIGNE: Nós meio que montamos!

JUICE: Eu comecei bem jovem também.

LAVIGNE: Você começou sua carreira no SoundCloud, né. Essa plataforma permitiu que você fosse mais independente?

JUICE: 120% sim. O SoundCloud é um lugar muito bonito porque você pode compartilhar material e nunca se sabe quem pode dar de cara com essas canções. É uma oportunidade maior do que a que o YouTube oferece, porque é estritamente ligado a música.

LAVIGNE: Quando você vai sair em turnê?

JUICE: Estou prestes a sair em turnê com a Nicki Minaj!

LAVIGNE: Que foda!!! Eu a amo. Espero fazer uma música com ela algum dia – estamos falando um pouco sobre isso no momento.

JUICE: Seria uma música muito foda! Vocês duas juntas fariam um sucesso….

The following two tabs change content below.
Produtor audiovisual e redator do AVRILMIDIA.com
Noticia anteriorA religião na vida de Avril Lavigne após a doença de Lyme Proxima noticiaAssista à apresentação de Avril Lavigne no programa do Jimmy Fallon